Bolsonaro assina MP que retira LGBTs das diretrizes de Direitos Humanos





Nesta terça-feira (01), o presidente Jair Bolsonaro assinou a Medida Provisória de nº 870/19, que retira a população LGBT da lista de diretrizes dos Direitos Humanos.

A MP fala sobre as mudanças dos ministérios, como a criação do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que será comandado pela pastora Damares Alves. A edição foi publicada no Diário Oficial da União.

Marina Ruy Barbosa se irrita após tuíte sobre Bolsonaro: ‘Não me chame de Barbie’

Antes, as pessoas LGBT eram citadas nas estruturas de Ministérios e Secretarias Especiais da Presidência. Agora, são citadas “mulheres, crianças, adolescentes, juventude, idosos, pessoas com deficiência, população negra, minorias étnicas e sociais e índios”.

Bolsonaro retira demarcação de terras indígenas da Funai e transfere para a Agricultura

O novo ministério conta com seis secretarias: Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres; Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente; Secretaria Nacional da Juventude; Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa.

A pauta LGBT estava na Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos. Agora, as ações para a população LGBT dependerá de outras pastas, que ainda não tiveram os detalhes revelados.

Jair Bolsonaro tomou posse da presidência do Brasil nesta terça-feira, 1º de janeiro de 2019.



Natalia Marinho

Formou-se em Jornalismo em 2010. Já escreveu para sites como Yahoo Brasil (em editorias como Yahoo Mulher e Yahoo Finanças), Compara Seguros, Beleza na Web, Pet Love, Viva Real, Americanas Viagens e Submarino Viagens. Contato: natalia@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *