Após chacina, FDN cria funk que diz: ‘Foi mídia no mundo todo, arrancamos várias cabeças’




O primeiro dia do ano marcou uma das maiores chacinas do sistema prisional desde o derramamento de sangue no episódio do Carandiru, de São Paulo, em outubro de 1992, no qual 111 detentos foram mortos. A chacina aconteceu em Manaus e foi orquestrada pela facção criminosa Família do Norte (FDN), ocasião em que 56 de seus rivais, do PCC, foram “destroçados”. A FDN é apontada pela Polícia Federal como a terceira maior facção do crime no Brasil, considerando tanto estrutura quanto poder, perdendo lugar apenas para o próprio PCC (Primeiro Comando da Capital) e CV (Comando Vermelho).

A facção criou um funk que fala sobre o episódio, inclusive desafiando o governo, em um trecho do funk: “Vou passando outra visão para o Estado se ligar. Nossa estrutura aqui é forte, jamais vão nos derrubar.”

Veja a letra do funk da FDN:

Aqui é o crime organizado tá tudo monitorado
fechado aos aliado, represento o nosso estado
decretado o poder a ordem vou te dizer
foi batido o martelo pra torar os PCC
o Comando é um só e tá daquele jeito
representa a FDN junto ao Comando Vermelho
pega a visão é a conexão, tomamos de assalto todo o cadeião
representamos de tal forma e a massa reunida
para quem pagou de doído sente o poder da família
aqueles que conspirou traíram a família
o bagulho foi mais doido, se batendo igual galinha
foi troca de tiro, polícia não peitou
a bala comeu no solto e a Rocam recuou
Estava tudo dominado a cadeia em nossas mãos
e os presos tudo decapitado na quadro do cadeião

Vou passando outra visão para o Estado se ligar
Nossa estrutura aqui é forte, jamais vão nos derrubar
Pode anotar, escreve o que estou falando, a força da FDN só estava começando
então não desacredita que é a guerra só começou
È a família do Norte botando o maior terror

Nós aqui é pelo certo e não aguenta safadeza
Foi mídia no mundo todo arrancamos várias cabeças
Um aviso eu vou dar então fica ligado
Somos da FDN e CV lado a lado
Respeito, bota o respeito, aos irmãos que é fechamento
Aqui só os terroristas pesadão nesse momento
Armamento de pistola, de 12 e de granada
Jogamos no seguro e não sobrou mais nada

Papo reto, meu parceiro, pode crê nós está no pique
Dia primeiro de janeiro representamos o crime
Aqui é sem palpite e também poucas palavras
É a Família do Norte em todas as quebradas
Aqui é sem palpite e também poucas palavras
Do Norte, do Amazonas, para todas as quebradas
É nóis




Elia M.

Produtora de conteúdo em plataformas de notícias. Quase administradora, quase contadora, 100% escritora. Quer falar comigo? Escreva para [email protected] Visite minha página editorial: http://www.horabrasil.com.br/author/elia-m/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

/**