Câncer de mama: tudo que você precisa saber

Outubro foi o mês escolhido para um lembrete importante a todas as mulheres (e homens também): a conscientização sobre o câncer de mama. É um movimento internacional, conhecido como Outubro Rosa, que coloca em evidência a doença que mais mata mulheres em todo o mundo.

O Instituo Nacional do Câncer (Inca) estima que, em 2016, houve mais de 57 mil novos casos da doença no Brasil. Em contraponto, houve muitos avanços e a informação é sempre uma forte aliada. Veja a seguir alguns tópicos sobre a doença e formas de prevenção e proteção.



Câncer de mama: tudo que você precisa saber

O diagnóstico precoce

As taxas de cura são superiores a 95% se a doença for identificada cedo e tratada de forma adequada. Apesar disso, ainda é alto o número de mortes de mulheres todos os anos, cerca de 12 mil por ano, em parte pela demora no diagnóstico, que acaba complicando o quadro da doença.

O rastreamento

Consultar um especialista pelo meno suma vez ao ano – e desde a primeira menstruação – ajuda a rastrear a doença. Os especialistas fazem o levantamento de dados da paciente, orientando exames e tratamentos. O médico faz utiliza também a palpação das mamas e axilas, em busca de algum carocinho ou outro indício possível da doença.

O principal exame para esses rastreamento é a mamografia, que deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos. Situações de mulheres que tenham casos de câncer de mama, pâncreas, ovário ou próstrata em pessoas da família são diferentes, a mamografia pode ser antecipada para a partir dos 25-30 anos.

O autoexame

Apesar de muitos especialistas não considerarem mais o autoexame, principalmente porque ao não encontrar nada as mulheres deixam de procurar ajuda, o ato ainda é importante. Há que se prestar atenção e conhecer o corpo, tocar-se, palpar as mamas eventualmente e, em caso de alguma alteração ou sintoma, procurar ajuda médica.




Anticoncepcional aumenta o risco?

Se o contraceptivo utilizado tiver baixa dosagem de hormônios, o risco da doença não se eleva, segundo informação dada pelo oncologista Artur Malzyner à Revista Máxima. Apesar disso, nem todas as mulheres podem utilizar anticoncepcionais: quem já recebeu o diagnóstico de câncer de mama deve suspender a utilização, pois a maioria dos tumores cresce com o estímulo hormonal.

Tratamento

Diagnosticada a doença, começa-se o tratamento, a fim de evitar a metástase, que é quando o câncer se espalha além de onde começou. Os especialistas dizem que não há um protocolo padrão para a doença e que um mesmo tipo de tumor pode ter uma biologia molecular diferente em duas pacientes e por isso, cada um terá uma abordagem diferente.

Muitas mulheres já conseguem preservar a mama, sem precisar retirá-la por completo, já há avanços na medicina oncológica que proporcionam um tratamento sem que precise disso (dependendo do caso, é claro).

Caso seja necessária a retirada da mama, a mulher tem direito à reconstrução mamária. Com condições clínicas e técnicas, o procedimento pode ser realizado no mesmo momento da mastectomia, evitando que seja preciso mais uma cirurgia.

Prevenção

Alguns hábitos podem ajudar na prevenção do câncer de mama:

  • A prática de atividades físicas, pelo menos 30 minutos por dia;
  • Alimentação balanceada, pobre em gordura e açúcar e rica em verduras, frutas e legumes;
  • Manter o peso ideal, principalmente após a menopausa;
  • Evitar cigarro e álcool.

Cuide-se e faça a sua parte, ajude com as campanhas de conscientização.



Elia M.

Produtora de conteúdo para web, gosto de escrever um pouco de tudo. Quer falar comigo? Escreva para elia@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido!