Febre Amarela: OMS passa a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco




A partir desta terça-feira (16), a Organização Mundial da Saúde (OMS) passa a considerar todo o Estado de São Paulo como área de risco de transmissão de febre amarela. Com isso, viajantes de outras regiões que não forem vacinados passam a ter a orientação de tomar a vacina antes de ir para o estado.

Veja também: Ministério da Saúde abre inscrições para cursos gratuitos a distância com certificado

“A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente. Consequentemente, a vacinação contra a febre amarela é recomendada para viajantes estrangeiros que visitem qualquer área no estado de São Paulo”, disse a OMS, em comunicado.

Até agora, a vacinação era recomendada apenas para pessoas que fossem para as Regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil, Minas Gerais e Maranhão, além de partes dos estados da Região Sul, Bahia e Piauí. A alteração foi feita após o aumento do nível de atividade do vírus da febre amarela ser detectado no estado.

A transmissão de Febre Amarela é feita por mosquitos infectados. Não há transmissão de uma pessoa para a outra nem de animais para humanos sem a ação dos mosquitos. Dentre os principais sintomas estão febre,  icterícia, dores musculares, náusea, vômitos e fadiga.



A melhor forma de prevenção é a vacinação. Uma vez vacinada, a pessoa terá proteção pelo resto da vida. Porém, quando a vacina foi aplicada enquanto bebê é necessário procurar um profissional da saúde para avaliar a necessidade de aplicação de uma nova dose.

Pessoas que forem vacinadas com a vacina fracionada, algo que será usado no Estado de São Paulo agora estarão imunes por 8 anos.  Para viajar para as áreas de risco é indicado tomar a vacina com pelo menos 10 dias de antecedência da data da viagem.

Milena

Escreveu para sites como Yahoo e Dona Giraffa e atua em plataformas com produção de conteúdo. É formada em medicina veterinária, mas trabalha exclusivamente com redação desde 2013. Contato: milena@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *