Quem são as econopeople em The Handmaid’s Tale?

Spoilers! As econopeople em The Handmaid’s Tale apareceram pela primeira vez no terceiro episódio da segunda temporada, que foi lançado no dia 2 de maio no serviço Hulu. Essa classe social nunca foi mencionada na série e na obra homônima de Margaret Atwood.

Na primeira temporada foram mostradas quatro classes: Esposas, Aias, Jezebels e Marthas.

No último episódio, June foi ajudada por um econo e foi levada para a casa do mesmo, onde conheceu sua esposa e seu filho. E a aia pensou: “Então é aqui onde as econopeople vivem. É onde eu viveria se não fosse uma adúltera, se eu tivesse ido para o tipo certo de igreja, se eu tivesse dado as cartas corretamente. Se eu soubesse que eu deveria jogar cartas.”

E quem assistia à série se perguntou: por que essas mulheres foram autorizadas a viver com o marido e os filhos?

Vale lembrar que a esposa do motorista que ajudou June não é a mãe do menino, pois se ela fosse fértil não estaria ali e sim seria uma aia. A criança certamente é filha da mulher anterior do motorista, que deve ter sido levada.

Econopeople em The Handmaid’s Tale

Em Gilead há muitas classes sociais. Na primeira temporada foram apresentadas quatro e na nova temporada duas: Unwomen (Não Mulheres), aquelas que não querem ou são incapazes de satisfazer os desejos dos homens, seja dando à luz a crianças ou cuidando de seus afazeres. Elas não têm lugar na República e são mortas ou enviadas para as colônias; e as econo-wives, parte das econopeople.

As econo-wives são brevemente mencionadas no livro O Conto da Aia, que sugere que elas são mulheres casadas com guardiões ou outros homens de níveis mais baixos da sociedade que não são parte da hierarquia de Gilead. Elas não podem trabalhar e passam seus duas cozinhando, limpando, fazendo compras e trancadas em casa esperando os maridos voltarem e tentam não chamar a atenção e causar problemas.


Flávia Resende

Escreve sobre quase tudo, principalmente livros, séries, viagens, idiomas, educação, futebol e saúde. Também é redatora e editora na Contentools e na Blasting News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *