Como a psiquiatria pode ajudar no tratamento do alcoolismo




Presente nas reuniões de amigos, encontros de colegas de trabalho e, muitas vezes, no almoço da família, a bebida alcoólica pode levar ao alcoolismo, que nada mais é do que a dependência de álcool.

O que no começo era usado para relaxar, se torna doença. O alcoólatra faz o uso descontrolado de bebida, prejudica o seu organismo, a sua vida e afeta familiares, amigos e colegas de trabalho.

O descontrole causado pela dependência precisa de acompanhamento profissional. Além de terapias e reuniões em grupos, o psiquiatra é fundamental para o sucesso tratamento.

Como descobrir se é ou não alcoolismo

É importante ter em mente que há diferença entre o abuso de álcool e o alcoolismo. Há pessoas que se embebem em festas ou esporadicamente, mas param quando querem. Estas fazem o uso nocivo da bebida. Embora elas também prejudiquem o organismo, não são consideradas dependentes.

Já o alcoólatra perde o controle, tem muita vontade de consumir bebidas, deixa de fazer uso do álcool apenas socialmente e passa a beber compulsivamente.

Há alguns sintomas de alcoolismo que podem ser observados em quem já é dependente, que são:

  • A pessoa bebe quantidades maiores para obter o mesmo efeito, o que indica tolerância;
  • Acorda irritadiça, excitada, inquieta e ansiosa e acaba bebendo novamente para melhorar da crise de abstinência;
  • Tenta reduzir a quantidade de bebida ou parar e não consegue;
  • Deixa de ir a compromissos, para realizar atividades recreacionais;
  • Tem consciência dos males causados pela bebida, mas continua a usá-la;
  • A vontade de beber torna-se incontrolável;
  • Começa a beber e não consegue parar;
  • Ingere bebida alcoólica a qualquer momento do dia, sem motivo.

Estes são os sintomas mais comuns e podem não aparecer todos juntos. Quem tem um ou mais deles, deverá procurar ajuda de um profissional.

Diagnóstico do alcoolismo



Quando a pessoa começa a beber descontroladamente, a qualquer hora do dia ou em quantidade elevada, é sinal de que algo não está bem. Está na hora de procurar um médico psiquiatra, para que ele avalie o histórico e possa dar um diagnóstico preciso.

Para que o profissional possa entender o que está acontecendo, é importante que o paciente conte tudo com detalhes. Frequência da ingestão da bebida, quantidade, desconfortos, vontade, crises de ansiedade, irritabilidade, entre outros sinais devem ser detalhados.

Caso o alcoolismo seja diagnosticado, o psiquiatra poderá indicar tanto a medicação correta, quando for o caso, quanto orientar  sobre terapias, programas de tratamento do alcoolismo, entre outros.

Tratamento escolhido

A forma como o paciente será tratado vai depender da avaliação do profissional e do grau de dependência. Além da desintoxicação e de possíveis medicações, que possam ajudar a diminuir a compulsão pelo álcool, o médico psiquiatra irá ajudar o paciente a descobrir os sentimentos que o fazem ter a necessidade de beber para que isso também possa ser tratado.

O local em que tudo será feito também varia, podendo ser em ambulatório, hospitais, quando a internação se faz necessária, ou até mesmo em casa, com ajuda de familiares e amigos. Quase sempre, os encontros de Alcoólicos Anônimos (AA) são indicados para ajudar na recuperação.

Uma vez tratada, a pessoa que é dependente vai precisar evitar qualquer bebida alcoólica para não ter recaídas. Em todo esse processo, a presença de pessoas próximas ajudando é essencial para o sucesso do tratamento.

Milena

Escreveu para sites como Yahoo e Dona Giraffa e atua em plataformas com produção de conteúdo. É formada em medicina veterinária, mas trabalha exclusivamente com redação desde 2013. Contato: milena@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *