O que aconteceu na Tailândia? Entenda a história das crianças na caverna




Nesta segunda-feira (9), mais quatro crianças presas na caverna foram retiradas. Ainda estão nela quatro meninos e o instrutor de futebol. Quem não acompanhou o caso deve estar se perguntando: o que aconteceu na Tailândia?

Tudo começou no dia 23 de junho, quando 12 garotos e o seu técnico de futebol foram dados como desaparecidos. O alerta foi dado por uma mãe, quando viu que o seu filho não havia voltado do treino.

Veja também: Resgate na Tailândia: veja quem são as crianças presas na caverna

As buscas começaram e as autoridades desconfiaram que eles pudessem ter entrado na caverna, antes das chuvas, e ficados presos após a entrada principal ser alagada.

As chuteiras e as bicicletas dos meninos, que têm entre 11 e 16 anos, e seu treinador de 25 anos, Ekkapol Chantawong, foram encontradas perto da caverna Tham Luang Nang Non.

Depois de encontrarem indícios de que o grupo estaria lá, no dia 24 de junho as buscas começaram a ser feitas por policiais e funcionários do parque. Parenter ficaram desesperados.

O que aconteceu na Tailândia no dias 25, 26 e 27 de junho?

Na segunda, dia 25, os mergulhadores da Marinha da Tailândia começaram a desbravar a caverna, levando oxigênio e comida, para caso encontrassem o grupo.

As chuvas continuaram e os meninos acabaram indo para um bolsão de ar chamada Praia de Pattaya, deixando mais difícil a localização do grupo.

As buscas são interrompidas no dia 26 de junho, devido às fortes chuvas. Na madrugada do dia 27 para 28 de junho, 30 militares americanos do Comando do Pacífico dos EUA chegam ao local para ajudar. A chuva não para.

Sequência das buscas pelas crianças na Tailândia



As chuvas não pararam e desde o dia 28 de junho foram colocadas bombas de água para tentar drenar a água da caverna. Mergulhadores britânicos se juntaram à equipe e voltaram a procurar pelos garotos na caverna.

A equipe tenta encontrar possíveis novas entradas através de drones.

Crianças da Tailândia são encontradas

Apenas no dia 2 de julho as 12 crianças e o treinador foram encontrados. Todos estavam fracos, sem comida, mas lúcidos.  Depois de mais de nove dias sem se alimentar, eles recebem alimentos e mantas térmicas.

As tentativas de resgate começam a ser estudadas. Mergulhadores se encarregam de levar mantimentos e oxigênio para o grupo. A água seguiu sendo drenada.

No dia 5 de julho,  o ex-integrante da Marinha tailandesa, Saman Kunan, que ajudava a organizar o resgate das crianças, morreu. Ele ficou sem oxigênio durante o percurso de volta.

A demora no resgate acontece é necessária

As condições nutricionais das crianças fizeram com que o resgate por mergulho não pudesse ser feito nos primeiros dias. Eles ganham comida e isotônicos, além de suporte de oxigênio.

No dia 7 de julho, eles mandam cartas para familiares e disseram estar bem. O técnico se desculpou pelo passeio feito.

Resgate das crianças da Tailândia continua a ser feito



Apenas na manhã de domingo, dia 8 de julho, as primeiras crianças foram resgatadas. Quatro meninos foram retirados e hospitalizados. Na manhã desta segunda mais quatro foram retirados do local.

Uma nova pausa no resgate foi feita para que a equipe preparada para isso possa descansar e a reposição de oxigênio possa ser feita.

Na manhã de terça-feira, dia 10 de julho, um novo resgate deverá ser feito. O treinador deverá ser o último a sair do local.

Veja também: Resgate na Tailândia: veja vídeos e fotos dos meninos

Javali Selvagem: chega ao fim o resgate da Tailândia

Milena

Escreveu para sites como Yahoo e Dona Giraffa e atua em plataformas com produção de conteúdo. É formada em medicina veterinária, mas trabalha exclusivamente com redação desde 2013. Contato: milena@horabrasil.com.br

Um comentário em “O que aconteceu na Tailândia? Entenda a história das crianças na caverna

  • 9 de julho de 2018 em 22:06
    Permalink

    Parabéns a todos os profissionais q se juntaram aos de Taylandia.
    Era bom se viesse da Grã Bretanha o astro Jason Statham rss

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *