Capes avisa que quase 200 mil bolsistas podem ficar sem receber




O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) referente a 2019, caso seja sancionado pelo presidente Michel Temer, pode deixar quase 200 mil bolsista sem receber, a partir de 2019. A informação foi dada pela  Conselho Superior da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que enviou um ofício ao governo.

No documento, a Capes alerta que caso a verba venha a ser cortada, as bolsas de pesquisa e de formação de docentes só terão como ser pagas até agosto de 2019. Com isso, será feita a “interrupção do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) (Edital n° 7/2018), do Programa de Residência Pedagógica (Edital n° 7/2018) e do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) (Edital nº 19/2018)”.

Além disso, terá que interromper programas, como o da Universidade Aberta do Brasil. “Interrupção do funcionamento do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e dos mestrados profissionais do Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB), com a suspensão dos pagamentos a partir de agosto de 2019, afetando os mais de 245.000 beneficiados (alunos e bolsistas – professores, tutores, assistentes e coordenadores) que encontram-se inseridos em aproximadamente 110 IES, que ofertam em torno de 750 cursos (mestrados profissionais, licenciaturas, bacharelados e especializações), em mais de 600 cidades que abrigam polos de apoio presencial”, diz o documento.

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) revelou, na noite desta quinta-feira (2), que pretende cortar em 11% do orçamento global do MEC para despesas não obrigatórias.



O presidente Michel Temer tem até 14 de agosto para sancionar o PLOA. Leia o documento da Capes na íntegra aqui.

Milena

Escreveu para sites como Yahoo e Dona Giraffa e atua em plataformas com produção de conteúdo. É formada em medicina veterinária, mas trabalha exclusivamente com redação desde 2013. Contato: milena@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *