Estudo mostra a relação entre o uso das redes sociais e a depressão

Um estudo feito pela Universidade da Pensilvânia mostrou que o uso das redes sociais deveria ser limitado a 10 minutos por dia para ajudar a reduzir a depressão e a solidão.

O estudo, publicado no Journal of Social and Clinical Psychology nesta quinta-feira, 8, pela psicóloga Melissa G. Hunt, baseou-se em dados experimentais e linkou o uso do Facebook, do Instagram e do Snapchat à diminuição do bem-estar.

Segundo os pesquisadores, os estudantes que reduziram o tempo que passavam diariamente nas redes sociais (Instagram, Facebook e Snapchat) tiveram importantes reduções nos sintomas associados à depressão.

Pesquisa: redes sociais x depressão

A pesquisa contou com 143 participantes, que responderam a um questionário para determinar seu humor e bem-estar no início do estudo, e também compartilharam print screens da porcentagem das baterias para oferecer uma semana de dados de redes sociais básicos. Os participantes foram distribuídos aleatoriamente em: grupos de controle, onde eles continuaram com o mesmo comportamento nas redes sociais; e em grupos experimentais que limitaram o tempo de uso de cada rede social a 10 minutos por dia.

Nas três semanas seguintes, os participantes compartilharam o print de tela para que os pesquisadores pudessem reunir as estatísticas semanais de cada um. Com esses dados reunidos, a psicóloga analisou sete medidores de resultados.  Alguns deles foram medo de estar perdendo algo, ansiedade, depressão e solidão.

“Aqui está a conclusão. Usar menos redes sociais do que você normalmente usaria leva a significantes reduções de depressão e solidão. Esses efeitos são particularmente pronunciados em pessoas que estavam mais deprimidas quando elas vieram participar do estudo“, disse Melissa Hunt.

Hunt enfatiza que o resultado do estudo não sugere que os jovens de 18 a 22 anos devem parar de usar as redes sociais completamente. O estudo foi construído para evitar o que a psicóloga considera uma meta irrealista. 

Ao aprofundar um pouco mais na descoberta de que a redução do uso das redes sociais diminui a solidão, a psicóloga viu que faz sentido, pois algumas publicações sobre redes sociais sugerem que acontece uma comparação social. “Quando você olha para a vida de outras pessoas, particularmente no Instagram, é fácil concluir que a vida de todos é mais legal ou melhor que a sua”, completou ela.

Como o estudo analisou apenas o Facebook, o Instagram e o Snapchat, ele pode não se aplicar a outras redes sociais, a outros grupos etários ou em contextos diferentes. Hunt espera ter resposta para essas perguntas e pretende realizar, inclusive, um estudo sobre o uso de aplicativos de namoro por estudantes universitários.

As conclusões desse estudo são duas: reduzir o uso das redes sociais diminui as oportunidades de comparação social e limita seus efeitos prejudiciais.

Fonte: Science Daily

Flávia Resende

Escrevo sobre quase tudo, principalmente livros, séries, viagens, idiomas, educação, futebol e saúde. Também sou redatora e editora na Contentools e na Blasting News. Contato: flavia_horabrasil@yahoo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *