BrasilNotíciasPolítica

‘O exército não matou ninguém’, diz Bolsonaro sobre morte de músico no Rio

O presidente Jair Bolsonaro se manifestou publicamente, pela primeira vez, sobre a morte do músico e segurança Evaldo Rosa dos Santos, no domingo, 7, depois de ter o carro atingido por cerca de 80 tiros de funil por militares do Exército.




O Exército não matou ninguém, não. O Exército é do povo e não pode acusar o povo de ser assassino, não. Houve um incidente, uma morte. Lamentamos a morte do cidadão trabalhador, honesto. Está sendo apurada a responsabilidade”, disse o presidente em evento para a inauguração do aeroporto de Macapá.

Bolsonaro ainda não havia se pronunciado sobre o caso

O presidente explicou que uma perícia já foi pedida para cerificar o que realmente aconteceu naquele domingo. Bolsonaro também disse que o Exército, na pessoa de seu comandante, fará um pronunciamento sobre o caso. “Nós vamos assumir a nossa responsabilidade e mostrar o que realmente aconteceu para a população brasileira”, completou.




Na terça-feira, 9, o porta-voz de Bolsonaro, Otávio Rêgo, disse que esperava que o caso fosse esclarecido “rapidamente”.

Morte do músico no Rio

Evaldo Rosa dos Santos, de 46 anos, estava no carro com a família na Estrada do Camboatá, zona norte do Rio, a caminho de um chá de bebê quando foi confundido com um assaltante pelo Exército. O carro, que Evaldo dirigia e foi alvejado com 80 tiros, estava no carro com a esposa, o filho de 7 anos e o sogro. Evaldo morreu, e o sogro foi ferido, mas se recupera bem.

A corporação determinou a prisão em flagrante de 10 dos 12 militares ouvidos, “em virtude de descumprimento de regras de engajamento”. Nove deles continuam presos. 

Etiquetas
Mostrar mais

Flávia

Escrevo sobre quase tudo, principalmente livros, séries, viagens, idiomas, educação, futebol e saúde. Também sou redatora e editora na Contentools e na Blasting News, e redatora na Contteudo e PostSpot.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios