Ciência e SaúdeNotíciasSaúde

Por que a amamentação é tão importante para a saúde da mulher?

Muito se fala da importância da amamentação para os bebês, mas as mães também têm vários benefícios com o aleitamento.

Quando uma mulher engravida, ela descobre, aos poucos, que sua vida mudará completamente. As semanas passam a ser muito mais importantes do que se supunha e cada ultrassom e consulta são de extrema importância para conhecer o desenvolvimento do bebê.

Muitas mulheres se concentram no momento do parto e, embora esse momento seja, de fato, crítico tanto para a futura mamãe, quanto para o bebê, há muito o que aprender sobre maternidade para além do parto.

A amamentação, por exemplo, é de extrema importância não apenas para os bebês, mas também para as futuras mamães. Além de escolher o sutiã próprio para amamentação, é necessário lembrar os benefícios desse ato para a saúde feminina.

Leite materno: melhor alimento para os bebês

Toda futura mamãe sabe que se há um superalimento para os seus bebês ele é justamente o leite produzido pelas mães.

De fato, o leite materno é o melhor alimento que os recém-nascidos podem receber, isso porque, além dos nutrientes, o leite também oferece os anticorpos necessários para os bebês, o que os ajuda a crescer com saúde.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é imprescindível que as mulheres amamentem seus filhos por, pelo menos, 6 meses de vida. Mas, os pequenos podem receber esse alimento mesmo depois de completar um ou dois anos de vida.

Ou seja, para a OMS, o aleitamento pode ser estendido, podendo durar por anos se a mãe e a criança assim entenderem que devem.

A mesma OMS orienta que, a partir dos 6 meses de vida, os bebês já comecem a receber alimentação sólida, com papinhas e frutas, mas essa deve ser uma alimentação complementar à amamentação.

Por que amamentar é tão importante para a mulher?

Embora muito se fale da importância da amamentação para os recém-nascidos, é de extrema relevância lembrar também que esse ato é muito saudável para as mulheres.

Diminuição dos casos de depressão pós-parto

Muitas mulheres, depois de dar à luz, sofrem com uma condição chamada “depressão pós-parto”. Embora seja difícil de prevê-la e combatê-la, alguns pesquisadores da Universidade de Cambridge mostraram que a amamentação ajuda a reduzir a incidência da doença entre as mães.

Ou seja, a amamentação é um bom antídoto contra a depressão pós-parto. Segundo os cientistas, isso pode estar relacionado, por exemplo, à liberação de um hormônio que dá uma sensação de bem-estar quando o leite é produzido.

Além disso, sentir-se útil para a criança e conectar-se com ela podem ajudar a combater a tristeza profunda e o abatimento que, eventualmente, podem tomar conta das mulheres no pós-parto.

Amamentação ajuda a criança a crescer saudável

As mães dizem que não há nada que as façam mais felizes do que ver os filhos crescendo com saúde. Pois bem, o leite materno é uma das principais garantias das mães de que seus bebês vão ser fortes e terão saúde.

É o aleitamento que garante anticorpos para a criança e que fornece os principais nutrientes para ela. Além disso, estudos também comprovam que o leite materno ajuda a regular o metabolismo da criança, com isso, a criança tem menos chance de desenvolver a obesidade, o que também se reflete em sua vida adulta.

Amamentação reduz chances de câncer de mama

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), durante a amamentação, alguns hormônios que ajudam a desenvolver células cancerígenas são liberados em menor quantidade e, consequentemente, as chances de se desenvolver câncer de mama ficam menores.

Além disso, ainda segundo o Inca, durante o período de aleitamento, as células da mama são renovadas de maneira mais regular e intensa, o que ajuda a eliminar as possíveis células cancerígenas.

Amamentar ajuda a emagrecer

É muito importante lembrar as mães e as grávidas de que engordar e emagrecer são processos naturais e que isso não deve ser um problema.

Muitas mulheres ficam com medo dos quilos a mais e a tristeza com relação à própria imagem pode ajudar a desenvolver a depressão pós-parto, por exemplo. Mas é necessário calma e respeito ao tempo do próprio corpo. Ou seja, não tentar desesperadamente emagrecer é muito importante para não se criar uma atmosfera de ansiedade e tristeza.

Porém, quem quer dar uma forcinha extra para o corpo perder alguns quilinhos tem na amamentação uma baita aliada. Isso porque produzir leite ajuda a eliminar calorias. O aleitamento também estimula a liberação de hormônios que fazem o corpo voltar ao que era antes da gravidez.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios