NotíciasPolítica

Carlos Bolsonaro divulga supostos registros de condomínio para rebater Rede Globo

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) postou em sua conta no Twitter vídeo com supostos registros internos do condomínio citado na matéria do Jornal Nacional.

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) postou em sua conta no Twitter, na manhã desta quarta-feira (30), vídeo com supostos registros internos do condomínio citado na matéria do Jornal Nacional.




A TV Globo exibiu no Jornal Nacional de terça-feira (29) matéria em que revela que porteiro do condomínio onde Jair Bolsonaro (PSL) mantém residência no RJ afirmou que suspeito de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) pediu para ir à casa do presidente no dia do assassinato.

+ Irritado, presidente faz live atacando Globo e nega envolvimento com morte de Marielle

Carlos, filho do presidente, publicou o vídeo com os supostos registros internos do condomínio para afirmar que não houve solicitação de entrada feita para a casa do presidente. “”A Globo, sabendo dos fatos e podendo esclarecê-los, preferiu levantar suspeitas contra o Presidente e alimentar narrativas criminosas. Um simples acesso aos registros internos do Condomínio mostra que no dia 14/03/2018 NENHUMA solicitação de entrada foi feita para a casa 58”, disse ele em seu tweet.

+ Após pedido de Bolsonaro, Moro pede abertura de inquérito sobre depoimento que cita presidente

Após vários internautas apontarem que o vídeo mostrava uma ligação, Carlos voltou ao Twitter para comentar o que estava sendo apontado por diversas pessoas. “Para os que se apegam à psicose do que ao bom senso, explico: a matéria do JN fala sobre a entrada do suspeito por volta das 17h do dia 14/03/18. Nesta data, em torno deste momento, NENHUMA LIGAÇÃO PARA A CASA 58. Não é preciso esforço para entender, basta não ser canalha!”, disse ele. “A ligação referida na matéria lixo da Globo, com horário da entrada e identificação do suspeito, além da voz de quem atendeu, que claramente NÃO É DE BOLSONARO, é o ponto importante. Se apegar à semântica ou literalidade de palavra para continuar levantando suspeita é CANALHICE!”.




O condomínio em que o presidente mantém residência no RJ é o mesmo em que morava Ronnie Lessa, policiar militar reformado apontado como autor dos disparos que mataram Marielle e seu motorista Anderson Gomes.

Etiquetas
Mostrar mais

Natalia Marinho

Formou-se em Jornalismo em 2010. Já escreveu para sites como Yahoo Brasil (em editorias como Yahoo Mulher e Yahoo Finanças), Compara Seguros, Beleza na Web, Pet Love, Viva Real, Americanas Viagens e Submarino Viagens. Contato: natalia@horabrasil.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios