EducaçãoNotíciasSão PauloSudeste

Retomada das aulas em São Paulo será em setembro

As aulas no estado de São Paulo vão ser retomadas em setembro, mais precisamente no dia 8. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (24), em durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.




“Construímos um plano com protocolos bem definidos de distanciamento social, monitoramento de saúde dos alunos, higiene pessoal e dos ambientes escolares, para garantir essa segurança, repito, nas escolas públicas municipais, estaduais e também a recomendação para as escolas privadas em todo o estado de São Paulo”, declarou o governador João Dória (PSDB).

Consulta ao 2º lote da restituição do Imposto de Renda 2020 é liberada hoje

O protocolo divulgado deverá ser adotado pela rede pública e privada do Estado de São Paulo. “É importante falar aqui que este protocolo não é para rede estadual, e, sim, para o sistema educacional do estado de São Paulo, desde a educação infantil até o ensino superior, que somam esses 13,3 milhões, incluindo o que a gente chama de educação suplementar aqui, que são cursos de inglês, e outros cursos livres que são propostos por inúmeras instituições”, disse Rossieli Soares.

Além da análise da pandemia no estado, o calendário de retomada das aulas em São Paulo avaliou também o tempo necessário para que os gestores se preparem para as mudanças.

“Essa data – ela é um estudo da secretaria de educação com o governo para que a gente possa dizer o seguinte: nós temos que nos programar, ou seja, redes municipais tem que ter merenda escolar, porque no dia 8 de setembro começamos a servir a merenda escolar, começamos a ter os insumos, temos que ter os itens de proteção, todos adquiridos por todos para esta data. Então, nossa data referência é 8 de setembro”, alertou Rossieli.

Parte dos alunos voltarão para as aulas presenciais

Apenas parte dos alunos terá aula presencial na primeira etapa da retomada das aulas no Estado de São Paulo. Nesse retorno, as escolas poderão receber no máximo 35% dos estudantes, para que consiga garantir um distanciamento de 1,5 metro.




Contudo, no caso da educação infantil e nas creches esse distanciamento não será aplicado, já que não há como manter distância entre bebês e cuidadores.

“Esta regra é fundamental. Ela é, como eu estou chamando, uma regra de ouro para ser cumprida por todas as instituições. Isto vale, logicamente, com alguma exceção para a educação infantil, como já destacamos, isso vale pra todas, rede municipal, rede estadual e redes privadas, em todas as instituições”, afirmou Rossieli.

Como será a retomada das aulas em São Paulo

Todas as cidades do Estado de São Paulo vão retomar as aulas em 8 de setembro de 2020. A partir dessa data, serão contabilizados 28 dias nos quais o estado todo ficará na fase amarela dessa retomada.

Além disso, isso só vai acontecer se no dia 8 de setembro o Estado de São Paulo todo já estiver há pelo menos 28 dias na fase amarela de flexibilização da economia. Sem contar que o ensino infantil, fundamental, médio terão regras diferentes das do ensino superior, que contará com normas específicas para essa retomada.

Enquanto na primeira etapa poderão estar presentes apenas 35% dos alunos, a segunda etapa vai receber 70% dos estudantes. Os 100% só serão permitidos na terceira etapa. Quem não estiver incluído nas primeiras etapas deverá continuar acompanhando as aulas virtuais ou pela TV, como já está acontecendo agora.

Os funcionários vão receber Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Já os alunos selecionados para as aulas presenciais vão receber máscaras, que terão uso obrigatório.

Para controle da doença, será adotada a aferição da temperatura de todos os trabalhadores e estudantes na estrada da escola. Os pais serão orientados a fazer o mesmo, antes que o estudante vá para a aula.

O intervalo deverá ser feito de forma escalonada. “Ainda temos uma recomendação importante de que os intervalos e recreios devem ser feitos sempre em revezamento de turmas com horários alternados, ainda que na etapa 1, que tenhamos menos alunos, não pode ser um intervalo onde todos estarão juntos no mesmo horário”, disse Rossieli.




Já os horários de entrada e saída de alunos deverão ser adaptados, de forma que seja evitado o horário de pico no transporte público. Por fim, os bebedouros não poderão ser usados. Para beber água os estudantes vão receber uma caneca individual.

Etiquetas
Mostrar mais

Milena

Escreveu para sites como Yahoo e Dona Giraffa e atua em plataformas com produção de conteúdo. É formada em medicina veterinária, mas trabalha exclusivamente com redação desde 2013. Completou o Nanodegree em Marketing Digital pela Udacity e ´possui certificação em Inbound Marketing da Hubspot. Contato: milena@horabrasil.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios