PlayStation, Nintendo e Xbox unem forças em prol da segurança dos games

0

Apesar de serem concorrentes ferrenhas no mundo dos games, a Playstation junto a Xbox e Nintendo estabeleceram uma parceria entre si para fortalecer a comunidade de jogadores e deixar suas experiências mais democráticas, seguras e inclusivas.

De acordo com o vice-presidente corporativo do Xbox, Dave McCarthy, eles pretendem reforçar a ideia do jogo responsável, garantido o respeito mútuo entre jogadores, sendo este o objetivo principal entre as marcas e os amantes dos games.

“No Xbox, estamos alinhados com a Nintendo, em nome da comunidade de jogadores do Switch, e com o PlayStation em nossa convicção de que proteger os jogadores online requer uma abordagem multidisciplinar, que combina os benefícios da tecnologia avançada, uma comunidade de apoio e uma habilidosa supervisão humana. Podemos realizar mais quando trabalhamos para o mesmo objetivo e, portanto, cada um de nós continuará investindo, evoluindo e ampliando nossas abordagens para a segurança do usuário. À medida que continuamos este trabalho, priorizamos a proteção da segurança de nossos jogadores, especialmente daqueles mais vulneráveis”, falou McCarthy.

Há três princípios fundamentais da associação das companhias de jogos: Parceria (forjar uma cooperação duradoura entre as empresas para promover a segurança dos usuários), Prevenção (para os pais e jogadores entendam e possam controlar suas experiências de jogo) e por último, Responsabilidade (onde as companhias têm o compromisso de tornar seus ecossistemas e plataformas online cada vez mais seguros).

De acordo com McCarthy, “esta parceria significa nosso compromisso de trabalharmos juntos para melhorar a segurança do jogador e garantir que o jogo permaneça verdadeiro para todos. Embora a indústria de vídeo games tenha uma longa história de tomar medidas para proteger os jogadores, especialmente crianças, reconhecemos que nenhuma empresa ou indústria resolverá esses desafios sozinha”.

As companhias ainda firmaram uma relação com as autoridades reguladoras e desenvolvedores para proteger os jogadores. Já um sinônimo de confiabilidade no atual mercado da jogatina virtual são os cassinos online que oferecem segurança para seus usuários, garantindo um ambiente digital livre de empecilhos, onde os apreciadores de um bom jogo podem se divertir sem grandes preocupações. Isso porque as plataformas contam com licença emitida por autoridades de jogos, conexão de dados protegida, boa reputação e passam por auditorias feitas por entidades idôneas.

Sony compra Crunchyroll

Falando em parcerias na indústria, a Sony acabou de adquirir o serviço de streaming de animes Crunchyroll. A plataforma conta com mais de três milhões de usuários e foi comprada pela “modesta” quantia de US$ 1,175 bilhão. A negociação foi anunciada recentemente pela Funimation Group, uma das subsidiárias da gigante japonesa que irá assumir o serviço.

Segundo o comunicado divulgado pela própria Crunchyroll, para que o negócio seja concretizado só faltam “aprovações regulatórias e do fechamento do contrato”. Por enquanto, o serviço vem sendo operado de maneira independente, contudo, assim que a negociação for aprovada, o Crunchyroll será integrado aos negócios da Sony. “É um momento emocionante para a indústria do anime, pois duas marcas que você já conhece e adora vão se unir.  Nossas equipes e marcas têm se dedicado aos animes e seus fãs por décadas, e temos todo nosso trabalho para provar isso.”  diz o comunicado do Crunchyroll.

Os primeiros rumores sobre a negociação surgiram em agosto do ano passado, e já naquela época a Sony era a principal interessada em adquirir a plataforma de animes. Nos meses seguintes, algumas declarações foram dadas, o que aumentou ainda mais as especulações, praticamente confirmando a negociação.

A Crunchyroll pertence ao grupo AT&T, que ultimamente estava em busca de uma compradora para a plataforma, já que após algumas aquisições de grande porte, a AT&T está com uma dívida líquida de aproximadamente 180 bilhões.

Com a negociata fechada, a empresa americana talvez consiga reduzir um pouco da sua dívida – já a Sony, que pagou um valor um tanto elevado pelo serviço de streaming de animes, talvez consiga colher alguns frutos, já que o Crunchyroll era o principal concorrente da Funimation, mas agora como as duas irão se juntar, a dominância do mercado de animes será toda da Sony.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.