75 anos depois, recorde a história da proibição dos cassinos no Brasil

0

Passaram quase 75 anos desde que, em 30 de Abril de 1946, um decreto-lei assinado pelo presidente Eurico Gaspar Dutra estabeleceu a proibição dos jogos de sorte e azar no Brasil

Foi uma medida revolucionária que acabou com a era dourada dos cassinos do Rio de Janeiro das décadas de 30 e 40 e que não foi revogada desde então. Oficialmente, os jogos de sorte e azar continuam sendo proibidos em todo o território nacional, ainda que jogar no cassino já faça parte do dia a dia de milhares de brasileiros. 

Embora seja ilegal fundar um cassino ou casa de jogo no Brasil, é possível jogar jogos como o poker ou a roleta através de sites de cassino online sediados no exterior. Hoje, a Internet está repleta de serviços gratuitos de jogo, de cassino tips para ganhar rápido e de campanhas promocionais bem agressivas. 

A popularidade do jogo online levou a que muitos brasileiros começassem a defender o estabelecimento de novas normas para os jogos de sorte e azar e a apelar em prol do regresso dos cassinos. Hoje, vamos olhar para a fascinante história por detrás da relação complicada que existe entre a política brasileira e a indústria dos jogos de cassino, que se vem arrastando há mais de 75 anos.

A geração de ouro dos cassinos brasileiros

É preciso recuar quase 100 anos no passado para descobrir um Brasil onde os cassinos proliferam e onde as casas de jogo se encontram entre as maiores atrações turísticas do Rio de Janeiro e de São Paulo. 

Durante as décadas de 30 e 40, o Brasil se habituou a receber milhares de jogadores estrangeiros todos os anos. O legado econômico, turístico e cultural dos maiores cassinos do país ainda se sente hoje em dia.

De todos os grandes cassinos da era dourada do jogo no Brasil, o mais célebre é provavelmente o Copacabana Palace, um dos mais conhecidos no exterior. O cassino foi palco de um filme norte-americano (Flying Down to Rio) e recebeu a visita de um grande número de celebridades mundiais. 

Um grande ponto turístico da América Latina, o Copacabana Palace foi visitado por convidados tão ilustres quanto o cientista Albert Einstein, o realizador Orson Welles, ou os cantores Janis Joplin e Frank Sinatra. 

Um lugar de glamour e riqueza, onde proliferavam os homens ricos de cachimbo e cartola, o Copacabana Palace serviu de inspiração para a criação do personagem Zé Carioca, um herói de BD e símbolo da cultura popular brasileira.

No seu pico, o setor dos cassinos no Brasil empregava cerca de 40,000 trabalhadores e gerava receitas exorbitantes. Os maiores cassinos do Rio e de São Paulo atraíam visitantes vindos de todos os lugares do mundo e tinham um impacto positivo sobre as finanças do Estado e as economias locais. Mas se assim era, por que mudou tudo no dia 30 de Abril de 1946?

Uma decisão de fé

A ideia de proibir os jogos de sorte e azar no Brasil poderá não ter existido apenas na mente de Eurico Gaspar Dutra. O presidente, oriundo do estado do Mato Grosso, foi o grande responsável pela proibição. No entanto, até hoje, os historiadores continuam lembrando o papel fulcral que a primeira-dama pode ter tido na passagem do decreto-lei. 

Conhecida como ‘Dona Santinha’, Carmela Teles Leite Dutra era célebre em todo o Brasil pela sua religiosidade extrema e pela sua íntima ligação com a Igreja Católica. Hoje, se acredita que ela desempenhou um papel fundamental na decisão da proibição dos cassinos. Afinal, o único argumento por trás da medida era religioso, já que a proibição teve um impacto bem negativo sobre a economia do Brasil.

Impacto sobre a economia

Se por um lado a proibição se alinhava perfeitamente com os valores católicos dos Dutra, por outro lado esteve na origem de muita pobreza. Pequenas cidades brasileiras como Petrópolis ou Poços de Caldas sobreviviam quase exclusivamente da indústria do jogo e foram extremamente prejudicadas. 

O mesmo se pode dizer dos mais de 40,000 trabalhadores de cassino e casas de jogo: ainda que o governo de Dutra tenha prometido indenizações laborais no momento da proibição, essas nunca chegaram a ser pagas pelo ex-presidente ou por qualquer dos governantes que vieram depois. O empresário do ramo do jogo Joaquim Rolla acabou por ser um dos magnatas brasileiros mais prejudicados pela medida.

Ventos de mudança?

Quase 75 anos depois da proibição dos jogos de sorte e azar no Brasil, continuam a existir poucos indícios de que a situação vai mudar. Embora certas personalidades políticas já tenham defendido a legalização dos jogos em território nacional, os grupos religiosos continuam oferecendo muita resistência. 

Em mais de sete décadas, o único verdadeiro sinal de mudança aconteceu em 2018, quando o então presidente Michel Temer autorizou as apostas desportivas online. Em todo a América do Sul, apenas dois países não possuem um sistema conciso de licenciamento e fiscalização de jogos de sorte e azar: a Bolívia e o Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.