Rogério Caboclo, presidente da CBF, é afastado após acusação de assédio sexual

0

Rogério Caboclo, presidente da CBF, foi afastado do cargo por 30 dias, neste domingo (06). A decisão foi tomada pela Comissão de Ética após ser revelado que funcionária da CBF acusou Caboclo de assédio sexual e moral. A entidade foi notificada da decisão. Caboclo nega a acusação.




Antônio Carlos Nunes, vice mais velho, assume o cargo de Rogério Caboclo durante o período de afastamento. Foi convocada reunião entre diretores e vice-presidentes para a manhã de segunda-feira (07), no Rio de Janeiro. Caboclo irá cuidar de sua defesa após pressão de patrocinadores e dirigentes da CBF.

Atualmente, comissão técnica e jogadores da Seleção Brasileira vivem impasse sobre a participação do time do Brasil na Copa América. O técnico Tite e os jogadores prometem se manifestar na próxima terça-feira (08) sobre a realização da Copa América no Brasil durante a pandemia.

Leia também: Casemiro fala sobre incômodo da Seleção com Copa América: ‘Nosso posicionamento todo mundo sabe’

Também neste domingo (06), foi revelado pelo apresentador André Rizek, do SporTV, que Rogério Caboclo havia prometido ao governo de Jair Bolsonaro que trocaria o técnico Tite por Renato Gaúcho após o jogo contra o Paraguai, que acontece terça-feira (08), pelas Eliminatórias.

A defesa de Rogério Caboclo nega que ele cometeu algum tipo de assédio e que isso será provado na investigação feita pela Comissão de Ética da CBF.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.