Uma análise de Vítor Pereira no Corinthians

Entenda como o novo técnico do Timão trabalha e saiba o que a Fiel pode esperar

0

Após a vitoriosa passagem de Jorge Jesus no Flamengo, entre 2019 e 2020, virou febre entre os clubes brasileiros a contratação de treinadores portugueses. Abel Ferreira no Palmeiras, Luís Castro no Botafogo e Vítor Pereira no Corinthians são alguns dos lusitanos comandando times da série A. E é deste último que vamos falar neste texto.

Avaliar o trabalho do técnico no Timão é importante para entender quais as expectativas que podemos ter para o time nas competições que está disputando. Saber seu estilo de jogo e de administrar a equipe permite conhecer seus pontos fracos e fortes, resultando em palpites mais informados e certeiros no www.betfair.com.br , por exemplo.

Uma defesa sólida

Uma qualidade do português tem sido armar uma defesa difícil de ser vazada. Normalmente, ele monta o time com quatro jogadores atrás, porém por vezes optou por colocar cinco defensores, com três centralizados e dois nas laterais. Além disso, a saída para o ataque é precisa, com raras perdas de bola na defesa, gerando poucos sustos.

Equilíbrio no meio de campo

Essa é uma característica pela qual o lusitano já era reconhecido na Europa: a capacidade de fazer com que os diferentes setores do time funcionem bem entre si. No Timão não tem sido diferente. A equipe tem apresentado um bom entrosamento entre defesa e meio campo, com boa troca de passes e reorganização rápida e efetiva após perda de posse.

O sucesso desse aspecto passa muito pelos volantes, que o técnico sabe aproveitar com maestria. Du Queiroz, Maycon, Cantillo ou Roni, todos têm evoluído com o português como treinador e formam um bom conjunto de escolhas dependendo de como ele pretende montar a equipe.

Ataque deixa a desejar (por enquanto)

O calcanhar de Aquiles de Vítor Pereira no Corinthians tem sido o setor ofensivo. O time faz poucos gols e, pior, tem a menor média de finalizações por jogo do brasileirão (apesar de ter um bom aproveitamento).  O próprio técnico já reconheceu isso em entrevistas, afirmando que o problema é a falta de soluções na frente, aliada a uma série de desfalques recentes.

A boa notícia para o corintiano é que isso pode estar com os dias contados. O atacante centralizado que o time precisava chegou: Yuri Alberto. Logo em seu primeiro jogo com a camisa alvinegra, contra o Coritiba, deu nova cara ao ataque. O que se viu foi muito mais dinamismo, ligação com o meio e velocidade, terminando em vitória por 3×1. Resta saber se a evolução será mantida.

Administração de elenco

O maior desafio de Vítor Pereira no Corinthians até agora talvez tenha sido decidir o time que vai escalar a cada jogo. O calendário intenso do futebol brasileiro e uma série de contusões encheram o departamento médico do clube de atletas – e de dúvidas a cabeça do treinador.

Jogadores veteranos, como Giuliano, Willian, Paulinho e Renato Augusto, além de precisarem de um maior tempo para se recuperar entre um jogo e outro, são mais predispostos a se machucarem. Como são peças vitais para o time, o desfalque deles faz com que Vítor Pereira tenha que improvisar, o que ele tem conseguido surpreendentemente bem.

Contra o Boca Juniors, na volta das oitavas da Libertadores, o Timão entrou recheado de ausências importantes. Porém, a adversidade fez a estrela de Vitor Pereira brilhar. Mostrando boa capacidade de se adaptar ao que tinha, ele colocou cinco jogadores atrás, dificultou os avanços do time argentino e levou a histórica classificação nos pênaltis, após um jogo sem gols.

A sequência de compromissos de meio e final de semana faz com que tenha que ser realizado um rodízio no time, para que ninguém fique muito cansado e acabe rendendo pouco durante as partidas. Para isso, o técnico tem feito um ótimo trabalho com os miúdos – como ele chama os atletas mais novos do Timão.

Suas apostas vêm dando bastante certo. Vítor Pereira vem buscando fazer com que jovens como Du Queiroz, Adson e Raul Gustavo rendam bem e funcionem perfeitamente em seu esquema tático. Isso mostra que os treinos do dia a dia têm sido bons e que o lusitano consegue enxergar e extrair o melhor dos jogadores que tem em mãos.

Ou seja…

O trabalho do português é positivo até o momento. Ele não tem medo de testar diferentes atletas e é criativo para armar o time, mesmo com contratempos. Apesar de não mostrar um futebol que encha os olhos do torcedor, os resultados são ótimos: está na briga pela ponta no Brasileirão e classificado para as quartas da Libertadores e Copa do Brasil.

O mais animador, porém, de Vítor Pereira no Corinthians é a capacidade que ele tem de evoluir e desenvolver a equipe como um todo. A continuidade desse trabalho consistente pode fazer com que a Fiel volte a sonhar com títulos em breve.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.