Ministério Público vai intimar influenciadores que foram pagos para elogiar PT

Nesta terça-feira (28), o Ministério Público Federal de Minas Gerais começou a apurar se houve crime eleitoral na contratação de influenciadores digitais para elogiar o PT nas redes sociais. A polêmica se espalhou no Twitter no último fim de semana.




Bruno Nominato de Oliveira, procurador eleitoral auxiliar, assinou portaria pedindo a identificação e intimação para prestar depoimento dos usuários do Twitter envolvidos na polêmica.

De acordo com documento divulgado pelo Buzzfeed, os influenciadores receberam a minuta de contrato com proposta de pagamento em duas parcelas de R$ 2,5 mil por dois meses de prestação de serviço. A Fórmula Tecnologia, do deputado Miguel Corrêa (PT), aparece como contratante no documento. Miguel Corrêa (PT) concorre ao Senado por Minas Gerais.

Segundo o procurador eleitoral, cinco empresas estão envolvidas no caso: Lajoy, Golz Tecnologia, Follow Análises Estratégias, Beconnected e Fórmula Tecnologia. A Fórmula e a Follow são do deputado e a Beconnected e a Golz são de Rodrigo Queles Teixeira Cardoso, assessor de Corrêa. O PT negou ter contratado esse tipo de serviço.

A investigação apurará se houve quebra do artigo 57-C da Lei 9.504/97. De acordo com o artigo, é proibido fazer esse tipo de propaganda online sem identificação. A multa varia entre R$ 5 mil e R$ 30 mil.

Natalia Marinho

Formou-se em Jornalismo em 2010. Já escreveu para sites como Yahoo Brasil (em editorias como Yahoo Mulher e Yahoo Finanças), Compara Seguros, Beleza na Web, Pet Love, Viva Real, Americanas Viagens e Submarino Viagens. Contato: natalia@horabrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *