BrasilMundoNotíciasPolítica

‘A Amazônia não está sendo consumida pelo fogo’, diz Bolsonaro em discurso na ONU

Na manhã desta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro discursou na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU).

Na manhã desta terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro discursou na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York, Estados Unidos. O presidente afirmou que tem “compromisso solene” com a preservação do meio ambiente e atacou a imprensa, França e Venezuela.




Desde 1949, tradicionalmente, o representante do Brasil abre o debate geral da assembleia. O discurso foi iniciado com Bolsonaro reivindicando o golpe militar de 1964, que iniciou a ditadura militar no Brasil. Ele também afirmou que sua chegada à presidência salvou o país do “socialismo”. O presidente também falou sobre a Amazônia.

“É uma falácia dizer que a Amazônia é um patrimônio da humanidade”, disse Bolsonaro, em crítica ao francês Emmanuel Macron. “E um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a Amazônia, a nossa floresta, é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa e com espírito colonialista. Questionaram aquilo que nos é mais sagrado, a nossa soberania”. Ele afirmou também que a Amazônia é maior que a Europa ocidental e que “permanece praticamente intocada”. Isso, de acordo com ele, comprova que o Brasil é “um dos países que mais protege o meio ambiente”.

Bolsonaro disse também que tem “tolerância zero” com a criminalidade, incluindo “crimes ambientais”. “A Amazônia não está sendo devastada e nem consumida pelo fogo, como diz mentirosamente a mídia. Cada um de vocês pode comprovar o que estou falando agora”, alegou. Ele afirmou que o país tem 61% do território preservado e utiliza 8% para produzir alimentos, enquanto França e Alemanha, segundo ele, utilizam 50% de suas terras.




Em alusão aos governos petistas, Bolsonaro afirmou que o Brasil esteve muito perto de se tornar um país socialista. “A Venezuela, outrora um país pujante e democrático, hoje experimenta a crueldade do socialismo. O socialismo está dando certo na Venezuela? Todos estão pobres e sem liberdade”, disse ele.

Etiquetas
Mostrar mais

Natalia Marinho

Formou-se em Jornalismo em 2010. Já escreveu para sites como Yahoo Brasil (em editorias como Yahoo Mulher e Yahoo Finanças), Compara Seguros, Beleza na Web, Pet Love, Viva Real, Americanas Viagens e Submarino Viagens. Contato: natalia@horabrasil.com.br

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios