Auxílio emergencial: Bolsonaro diz que paga ‘até R$ 1.000’ se valor sair do salário de deputados

0

Na última terça-feira (09), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou sobre a prorrogação do auxílio emergencial. O benefício foi criado para auxiliar trabalhadores informais, desempregados, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.




“A ideia da equipe econômica e minha são de duas parcelas de R$ 300. Tem parlamentar que quer R$ 600. Se tirar dos salários dos parlamentares, tudo bem, por mim eu pago até R$ 1.000”, provocou o presidente. “Não podemos deixar esse pessoal sem emprego e sem auxílio. Agora auxílio tem limite”.

O benefício foi criado para ser pago em três parcelas de R$ 600. No caso de mães solteiras, o pagamento é de R$ 1.200. O programa começou em abril e deve ser estendido por mais dois meses além do previsto.

Mais cedo, o ministro da Economia Paulo Guedes havia confirmado a prorrogação em dois meses. Ele também afirmou que, durante esses dois meses de prorrogação, o setor de produção pode se preparar para retomar as atividades. O ministro explicou que depois a economia irá entrar na “fase de decolar novamente”, após atravessar “as duas ondas”, se referindo à pandemia e ao desemprego. O ministro falou sobre o assunto na reunião ministerial de terça-feira.




Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.