Ex-BBB Felipe Prior é flagrado em festa clandestina e pede: ‘Finge que sou anônimo’

0

Neste domingo (13), o portal Metrópoles postou vídeo em que o ex-BBB Felipe Prior aparece em festa clandestina em São Paulo nesta madrugada. O ex-BBB, que é acusado de estupro, não quis falar sobre a festa clandestina e pediu: “Finge que eu sou anônimo, por favor. Eu quero paz, pessoal. Deixa eu e minha família quietinhos”.




Prior também não comentou se a festa era clandestina, como a marcação do vídeo define. “Pergunta para o menino do vídeo. A pessoa está querendo me prejudicar”, desconversou.

Desde a última sexta-feira (11), está proibido em São Paulo funcionamento de bares e venda de bebidas alcoólicas após as 20h. O limite de horário foi estabelecido após o avanço da pandemia do novo coronavírus no estado.

Mês passado, Felipe Prior virou notícia ao levar surra de moradores de Ilhabela. No vídeo, o arquiteto arremessa uma garrafa de vidro em direção ao homem que o agride.

No início do vídeo, é possível ver alguém gritando: “Quebra ele, Prior. Vem quebrar ele”. O vídeo também mostra o arquiteto levando socos de um homem. Ao tentar fugir, outras pessoas chegam perto. A briga teria acontecido em um bar em Ilhabela. Até agora, o ex-BBB não se pronunciou sobre o caso. Não demorou até o arquiteto virar um dos assuntos mais comentados das redes sociais, assim como o termo “Apanha y apanha”, em referência ao “joga y joga” que sua torcida usada durante o reality show.

Justiça acata denúncia de estupro contra Prior

A acusação de estupro contra o arquiteto e ex-BBB Felipe Antoniazzi Prior foi acatada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A audiência de instrução e julgamento do caso irá acontecer dia 10 de maio de 2021.

Prior é alvo de duas denúncias de estupro e uma tentativa de estupro. Os casos foram revelados pela revista Marie Claire em abril deste ano. “Verifico que as provas que instruem a denúncia demonstram a materialidade do crime e suficientes indícios a atribuir autoria. Não é caso de rejeição liminar, portanto, recebo a denúncia”, disse o juiz Luiz Guilherme Angeli Feichtenberger ao anunciar a decisão.




De acordo com os relatos, os crimes foram praticados nos anos de 2014, 2016 e 2018. Os dois últimos teriam acontecido durante os jogos universitários promovidos por faculdades de arquiteturas e urbanismo de São Paulo. Na época, por medo, nenhuma das vítimas registrou boletim de ocorrência.

O ex-BBB Felipe Prior nega todas as acusações.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.