Brasil perde bronze para a Argentina no vôlei masculino nas Olimpíadas de Tóquio

0

Na madrugada deste sábado (07), o Brasil perdeu para a Argentina na disputa pela medalha de bronze no vôlei masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A decisão foi até o tie-break e terminou com os argentinos vencendo por 15 a 13.




A seleção brasileira de vôlei masculino foi campeã dos Jogos Olímpicos em Barcelona 1992, Atenas 2004 e Rio 2016; ficou com a prata em Pequim 2008 e Londres 2012. A Argentina conseguiu sua segunda medalha na história do vôlei e a terceira nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Jogadores e técnicos analisam derrota do Brasil contra Argentina

Após a derrota, alguns jogadores e o técnico Renan Dal Zotto conversaram com jornalistas. Bruninho, capitão do time, analisou o que fez a seleção perder a partida. “Acho que essa inconstância acabou acontecendo durante toda a competição. A gente não conseguiu manter o nível. A gente não conseguiu essa medalha que prometemos conseguir, a gente tinha certeza que conseguiria. É uma frustração muito grande”, disse o capitão. “Agora é difícil encontrar palavras”, continuou.

Bruninho também elogiou o jogo da Argentina. “Tem o mérito deles, eles souberam lutar. Nessas horas tem que engolir o choro e partir para a próxima”, disse ele. Sobre se pretende participar das próximas Olimpíadas, o capitão da seleção do Brasil de vôlei desconversou. “Agora é difícil falar alguma coisa. São muitas coisas, vamos avaliar tudo. Existe uma fadiga agora, física e mental. Agora é o momento de respirar e pensar só em relaxar. Não tenho condições de fazer nenhuma avaliação sobre o futuro”, disse Bruninho.

Wallace também analisou a mudança da seleção brasileira de vôlei da Liga das Nações para as Olimpíadas de Tóquio. “Liga das Nações é Liga das Nações, Olimpíadas são outros quinhentos. Tive muitos altos e baixos. Na Liga das Nações não comecei da melhor maneira, fui crescendo. E aqui, realmente, acho que faltou bastante da minha parte. Não era a maneira que eu esperava terminar essa competição. Não faltou dedicação, muito sacrifício em ficar longe da família e amigos, não viemos para cá para passear. Acredito que cada um deu seu máximo. O sentimento de que poderia ter feito algo diferente é o pior. Fiz tudo que estava ao meu alcance, mas não foi o suficiente”, lamentou Wallace.

“Foi um amargor enorme a derrota para a Rússia, mas tínhamos a possibilidade de medalha. Tentamos fazer tudo para conseguir a medalha. Valia demais para nós [a medalha de bronze]. Mas não conseguimos manter uma estabilidade”, finalizou Wallace.

Lucão garantiu que pretende continuar jogando pela seleção do Brasil de vôlei. “Ano que vem é ano de mundial. Sempre falei que vão ter que me tirar [da seleção] de ambulância. Enquanto eu tiver condições e for chamado, vou estar. É o que a gente ama fazer, é o que trás o sustento, foi o que me deu tudo que eu tenho. Não posso renegar”, disse ele.

O técnico Renan Dal Zotto também analisou a partida entre Brasil x Argentina. “Não podemos tirar o mérito da Argentina. Equipe com volume de jogo impressionante, difícil derrubar a bola. O time [do Brasil] ficou tenso, não conseguimos fazer nosso melhor voleibol. Mas o mais importante é que houve uma entrega de todos. Todos queriam essa medalha, mas não foi suficiente. A Argentina jogou muito bem e a gente alternou entre momentos bons e de dificuldade, em que não conseguíamos sair da dificuldade”, disse o técnico.




Renan também justificou a falta de mudanças no time quando o Brasil estava com dificuldades para jogar. “Foi um jogo com muitas alternâncias. É preciso coincidir sua melhor rede com quem está do outro lado. Tem que pensar rapidamente, mas todos tiveram oportunidade de estar ali dentro e tentar dar o seu melhor. Talvez daqui a meia hora vai ser mais fácil fazer uma análise”, disse ele, justificando que contava com jogadores que reagiam bem. “Havia peças importantes e que historicamente sempre reagiram muito bem, mas hoje tentaram e não funcionou como time. Infelizmente, a engrenagem como um todo não funcionou”, disse ele.

“Todo mundo tava muito consciente da importância da medalha. Existia muita expectativa. Tudo que eu não queria era estar aqui dando justificativa, mas não fomos capazes o suficiente para a medalha. Argentina jogou um voleibol espetacular e a gente ficou devendo. Tem que repensar uma série de coisas e fazer uma análise profunda. É uma geração extremamente vitoriosa, estão sempre os melhores”, continuou Renan.

“Temos uma semana para ficar em casa com a família. É difícil… A gente pede desculpas, porque prometemos demais levar uma medalha para casa. Temos uma semana e depois já nos encontramos para a disputa do sul-americano. Vamos enfrentar essa mesma Argentina. Foi duro chegar aqui. Fizemos um ciclo maravilhoso, desde 2017. Muita gente só vê o atual, mas fizemos quatro anos muito bons”, finalizou o técnico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.