Veterinário preso na Operação Carne Fraca pediu Justiça mais rigorosa

1



A Operação Carne Fraca cumpriu 309 mandados judiciais em seis estados e no Distrito Federal, na manhã desta sexta-feira (17). Ela apura um esquema de fiscalização irregular de frigoríficos com participação de alguns fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). Dentre os investigados estão 34 funcionários públicos federais, sendo que 20 deles foram presos até o começo da tarde. Um deles é o médico veterinário Flávio Evers Cassou.

Veja também: Carne vencida e adulterada é vendida por grandes empresas

No perfil do Facebook do veterinário, que diz estar atuando no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento desde 2014, é possível encontrar mensagens sobre ética e pedindo rigidez da justiça. Ele, que segundo o seu perfil na redes social é formado pela Universidade FEderal do Paraná, está preso e teve os bens bloqueados.

Em um dos posts há a seguinte mensagem: “Da vida não quero muito… Quero apenas saber que tentei tudo o que quis, tive tudo o que pude, amei tudo o que valia e perdi apenas o que, no fundo, nunca foi meu”.

A operação envolve grandes empresas, como a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, a BRF Brasil, que tem marcas como Sadia e Perdigão. Há também frigoríficos menores, como Mastercarnes, Souza Ramos e Peccin, do Paraná, e Larissa, que possui unidades no Paraná e em São Paulo.

Veja mensagens do médico veterinário preso na Operação Carne Fraca
















1 comentário
  1. Sibele Malcher Dias Diz

    É uma vergonha uma situação dessas! Até carne podre estão “dando” para gente. Onde que essa pilantragem toda vai parar? E aquele pessoal todo que fazia propaganda de marcas famosas desses produtos contaminados? Vergonha!!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.