Auxílio emergencial em análise? Veja o que pode ser

1

Muitas pessoas, que se cadastraram desde o início do programa, seguem com o auxílio emergencial em análise. De acordo com a Caixa, a expectativa é que até o final desta semana, todos os inscritos tenham respostas.




Por que o auxílio emergencial foi recusado?

Para isso, a Dataprev, que é quem faz a análise dos dados informados pelo solicitante, precisa acabar de repassar as informações.

Auxílio emergencial em análise? Pode haver erros

A demora se dá por vários motivos. Dentre eles, o fato de muitas pessoas, que não podem receber por estarem empregadas, serem pensionistas ou terem alto rendimento, terem se inscrito. Isso sobrecarregou o processo e acabou prejudicando as pessoas que realmente se enquadram nos pré-requisitos do auxílio emergencial.

Além disso, muitas pessoas preencheram o cadastro errado e, por isso, seguem com o auxílio emergencial em análise. Dentre os erros mais comuns estão:

    • A pessoa é cadastrada no MEI, mas preencheu o formulário em outra categoria;
    • Foi informado o CPF de um parente que já morreu, como membro da família;



  • O solicitante informou que é o mantenedor da família, mas não declarou nenhum beneficiário. Quando a pessoa mora só, ela não deve assinalar este campo;
  • Mais de uma pessoa, da mesma família, se cadastrou e os dados do cadastro, de uma e de outra, não batem;
  • A pessoa não informou o sexo do beneficiário ou informou errado;
  • O solicitante digitou os dados, como nome ou CPF, dos membros da família errado.

Esses erros podem fazer com que o auxílio emergencial em análise demore mais. Além disso, podem levar a solicitação a ser negada.

O que fazer caso o auxílio emergencial em análise tenha sido negado?

Caso depois de ficar muito tempo com o auxílio emergencial em análise a pessoa tenha a sua solicitação negada, ela pode contestar. Para isso, é preciso ter a certeza de que pode ser incluída no programa. É preciso:

    • Ter mais de 18 anos;
    • Não ter emprego formal;
    • Não receber os seguintes benefícios: Previdenciários (INSS), Assistencial, Seguro-desemprego, ou programa de Transferência de Renda Federal (Bolsa Família não impede receber Auxílio Emergencial);
    • Ter a renda familiar mensal de até R$ 522,50, por pessoa ou de até R$ 3.135,00, renda familiar total;
    • Não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70;



  • Estar desempregado ou exercer atividades em uma das seguintes condições: Microempreendedor Individual (MEI) ou contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social ou ser trabalhador Informal;
  • Não ser agente público, inclusive temporário, nem exercer mandato eletivo.

Caso se encaixe, clique aqui e veja como fazer a contestação do auxílio emergencial negado.

1 comentário
  1. José Agnaldo Diz

    Boa noite, me chamo Agnaldo e meu auxílio foi negado, e o no App diz que alguém da família já recebeu. E não tem nem a opção de contestar. E quando eu vou contestar pelo site diz que na minha situação não é possível contestar.
    Alguém pode me ajudar?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.